Fonte: olhardigital.uol.com.br

Hiperconvergência. Essa palavra faz toda a diferença nas estruturas mais modernas de servidores e de datacenters. E com a tecnologia Hyper Flex da Cisco, o caminho para isso é mais que suave…

Mas… talvez, para você ter uma ideia mais profunda do que isso significa, o melhor seja voltar um pouco atrás.

Imagine um carro. Agora, imagine que, toda vez que você tivesse que trocar o pneu do carro, você tivesse que ajustar também o volante. Essa era, mais ou menos, a lógica das modificações na infra-estrutura de dados, antes da tecnologia Hyperflex da Cisco. Toda vez que um elemento novo era introduzido no sistema, havia a necessidade de várias etapas de adequação do ambiente como um todo…

A partir da tecnologia Hyperflex, aumentar, alterar ou adaptar sua infra-estrutura ficou muito mais fácil! Por exemplo: se você tiver que incluir uma nova máquina no seu parque, não há necessidade de reconfigurar todo o seu ambiente para que ela seja reconhecida: esse processo é automático.

Entre outros recursos, a tecnologia Hyperflex integra funções de armazenamento – também chamadas de storage – às ferramentas de gerenciamento. O resultado é que você consegue clonar, fazer registros imediatos – conhecidos como snapshots – e até mesmo alocar máquinas instantaneamente, para atender demandas pontuais.

Além disso, o sistema de compressão e deduplicação de dados é contínuo, está sempre ativo. No final, você consegue aproveitar muito melhor os storages, diminuindo o custo de armazenamento de dados.

Para completar, a estrutura flexível que é criada a partir da tecnologia Hyperflex é ideal para atender aplicações na nuvem e aplicações independentes. Você pode aumentar de modo isolado tanto as capacidades de armazenamento quanto as capacidades de processamento. E tudo isso está reunido numa interface gráfica absolutamente fácil de usar.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>